7 sugestões para o louvor congregacional

A música congregacional tem o poder de ligar os homens ao Céu. Quando a igreja se une para cantar com fervor, ciente da presença do Deus Todo-Poderoso, liderada por um grupo preparado, a glória do Senhor se manifesta no templo. Faça dos momentos de louvor um dos diferenciais dessa semana de oração. Abaixo estão sete sugestões para tornar o louvor de sua igreja mais perfeito:
1. Selecione um grupo para liderar o louvor. Escolha jovens que têm boa conduta. De preferência, que cante o mesmo grupo durante toda a semana – pois estarão musicalmente mais “maduros” e coesos. Uma sugestão é ter o grupo com três a sete componentes (contando com o ministro de louvor). Mas esse número pode variar de acordo com o tamanho da igreja.

2. Faça ensaios. Um dos maiores problemas de nossa música congregacional é a falta de preparo. Comece os ensaios pelo menos duas semanas antes e procure dividir o grupo em vozes. Geralmente as músicas congregacionais têm soprano, contralto e tenor e são bem intencionais, fáceis (baixos podem fazer melodia junto com as sopranos). O louvor em vozes é muito mais tocante e espiritual. Faça todo esforço para conseguir isso.

3. Escolha músicas apropriadas para o tema. As músicas devem ser uma ponte para o sermão (incluindo a mensagem musical especial). Se o pregador preparou uma reflexão sobre “escolhas”, como é o caso da mensagem da sexta-feira [da semana de oração jovem 2012], selecione músicas como “Sou de Jesus”, “De hoje em diante” e outras que estejam dentro do tema e sejam um reforço para a proposta do sermão.

4. Tenha um bom ministro de louvor. Essa é a peça-chave, aquele que vai conduzir a congregação à adoração. Além das falas no decorrer da música, quando necessárias, ele deve fazer o link entre as músicas (mas ele não pode pensar que é o pregador! Tem gente que se empolga e não para mais de falar. Duas ou três frases fazem o adorador refletir sobre a música seguinte e cantar com coração e entendimento). Que ele seja “bíblico” em suas palavras e, com o poder do Espírito Santo, fale ao coração dos presentes.

5. Música Instrumental. Este é um dos nossos grandes desafios. Poucas igrejas hoje têm uma orquestra/banda que participa dos serviços litúrgicos. Precisamos resgatar a beleza e a espontaneidade da música instrumental em nossos templos. Ellen White disse: “Nas reuniões realizadas, escolham-se alguns para tomar parte no serviço de canto. E seja este acompanhado de instrumentos de música habilmente tocados” (Testimonies, v. 9, p. 144). Essa é a hora de desenferrujar aquele piano, chamar aquele violonista que sempre toca por aí, menos na igreja e, mediante ensaio e preparo, oferecer o melhor ao  Senhor e aos adoradores.

6. Pontualidade. Todo preparo cai por terra se não houver pontualidade. Sua equipe precisa estar pelo menos trinta minutos antes do início do louvor. Não permita que enquanto  os irmãos estão chegando os instrumentistas ainda estejam afinando instrumentos ou os cantores ensaiando, testando o som, etc.

7. Consagração. Faça todos os músicos compreenderem a grandeza de Deus e o objetivo da música que elevam. Além dos ensaios, tenha momentos de oração com seu grupo. Que eles estejam consagrados e preparados para essa grande responsabilidade.

Fonte: http://danielludtke.com

0 comentários: